23.11.09

tu, simples transeunte

"tu, simples transeunte,
que não apenas um mero transeunte és.
passo por ti na rua, com o embalo do quotidiano,
e pronto.

é só isso que representas na minha vida: ar.
talvez haja uma troca de olhares,
talvez não.
talvez nem sequer repare que lá estás.
mas estás, e sei quem és
e tu, provavelmente, saberás quem sou
(ou talvez não sempre, porque vá-se lá saber
porque é que eu mudo tanto o cabelo).
mas acho que sabes.

então, não és só um transeunte incógnito.
já soube o teu nome.
lembras-te?

e chegámos a trocar dois dedos de conversa,
uma vez por outra.
lembras-te?

estudámos na mesma escola
e tínhamos amigos em comum,
também se contam pelos dedos as boleias
que te dei de manhã, a caminho da escola,
no carro do meu pai, que agora é meu.

ah, o meu pai...
nem sabes que ele morreu.
nem sei se te comoveria.
hoje só és isso, um simples transeunte."

autor um tanto ou quanto desconhecido

2 comentários:

Alex Vaz disse...

thats some deep shit, cate...

Jone disse...

uma versão do seu jorge de uma música do david bowie.
http://www.youtube.com/watch?v=w6l8zrsf4LY