2.1.11

metas

o que é que estarias disposto a fazer se alguém te prometesse, em troca, algo que te fizesse feliz?
o que é que te falta para seres genuinamente feliz? o que é que te impede?

a resposta não está em buscar incessantemente a peça que falta no puzzle, mas sim em olhar em redor com atenção.

está lá alguma coisa.
será?
até 2012 hei-de descobrir. espero.

4 comentários:

alex disse...

Tenho pensado nisso ultimamente, o que é realmente e como a atingir.
Para mim, é um sentimento como os outros, que vai e vem. mas para te aperceberes realmente tens de te conhecer a ti mesmo. muitas vezes não sabemos a razão de estarmos triste, acontece o mesmo com a felicidade e só não nos questionamos por ser um sentimento bom.
Não é preciso muito para te sentires realmente feliz, e quando eu digo isto, não estou a falar de um simples sorriso na cara, mas de um sentimento profundo de paz e auto realização, ou pelo facto de veres algum com dificuldades bem, pelo olhar sincero de uma criança. por seres verdadeiro com o que te rodeia, mesmo que nem sempre ganhes com isso.

"A felicidade é um estado permanente que não parece ter sido feito, aqui na terra, para o homem. Na terra, tudo vive num fluxo contínuo que não permite que coisa alguma assuma uma forma constante. Tudo muda à nossa volta. Nós próprios também mudamos e ninguém pode estar certo de amar amanhã aquilo que hoje ama. É por isso que todos os nossos projectos de felicidade nesta vida são quimeras.

Aproveitemos a alegria do espírito quando a possuímos; evitemos afastá-la por nossa culpa, mas não façamos projectos para a conservar, porque esses projectos são meras loucuras. Vi poucos homens felizes, talvez nenhum; mas vi muitas vezes corações contentes e de todos os objectos que me impressionaram foi esse o que mais me satisfez. Creio que se trata de uma consequência natural do poder das sensações sobre os meus sentimentos. A felicidade não tem sinais exteriores; para a conhecer seria necessário ler no coração do homem feliz; mas a alegria lê-se nos olhos, no porte, no sotaque, no modo de andar, e parece comunicar-se a quem dela se apercebe."
Jean-Jacques Rousseau

Luzia disse...

ha uns tempos tambem fiz um texto com a mesma pergunta e mais associadas no meu, e a professora de portugues respondeu-lhe, vai ver

Anónimo disse...

"tristeza não tem fim, felicidade sim"

David Nogueira disse...

Tens agora um bom filme que aborda algumas dessas questões:
The Adjustment Bureau