14.2.09

s'embora, encalhados

hoje é dia dos namorados. o que é que isto quer dizer? que a maior parte dos casais deste país estará, neste momento, a copular. não há-de ser um fenómeno que aconteça todos os dias.

para mim, tudo na mesma; hoje foi um dia como os outros. e não me queixo.

passaram reportagens e programas sobre o dia de hoje na televisão, mas eu não vi nenhum. e tenho pena. podia ser que eu tivesse aparecido.

porque é que haveria eu de aparecer?
porque numa bela tarde de sexta, estava eu com o doggie a laurear a pevide pela baixa, quando uns senhores repórteres (que nós já estávamos a topar há uns quinze minutos) abordaram-nos, a apontar-nos com a câmera como se não tivéssemos fuga possível, e perguntaram-nos se acreditávamos no amor para sempre.

doggie: não.
eu: sim.
senhor repórter: então e porquê?
eu: porque, se duas pessoas sentem amor uma pela outra, podem fazer um esforço para que dure para toda a vida.
doggie: pois.... isso faz sentido, realmente...
eu interrompo: então?! mas tinhas dito que não acreditavas!
doggie: ah, é verdade... eh pá, já estragámos tudo!
senhor repórter: mais uma pergunta - o que representa para vocês o dia dos namorados?
doggie: bom, eu acho que é só mais um pretexto para se gastar dinheiro em presentes que se podiam dar todos os dias...
eu interrompo, uma vez mais: É SÓ MAIS UM PRETEXTO PARA AS PESSOAS SOLTEIRAS SE SENTIREM SOZINHAS.... ainda mais sozinhas!

e pronto. é mais ou menos isto que eu tenho a dizer sobre o dia 14 de fevereiro. não podia deixar passar. se não aparecemos na televisão, então aparecemos no meu blog!
toma, RTP2, agora já expus ao mundo.

de resto... desejo um resto de dia de S.Valentim feliz para todos (falta meia hora para acabar, aproveitem). -> make love not war <-

3 comentários:

Jone disse...

Rummm, amor, amor, amor...Palavra que não sai da cabeça, um enorme sentimento, o pai da dor e do prazer, é simples, é complexo.
Esse sentimento nos devora por dentro, nos engole numa velocidade estúpida. Porque queremos nos agarrar a qualquer corpo para esquecer a idéia de que precisamos amar para dar um sabor a mais a vida?
Essa juventude careta adora andar pelos caminhos mais errados,espero que não se machuquem quando
entender que o amor não é um vício, e sim algo que surge junto com a gente.

Eu pensaria da mesma forma, o amor pode ser pra sempre se houver esforço da parte dos dois, mas não sei se seria necessário apenas esforço, e sim provocar um embalo no sentimento, procurar nos olhos do parceiro(a) a felicidade, eu amo falar do amor, porque eu sei que um dia o mundo inteiro olhará para o amor com olhos famintos e loucos pela felicidade eterna.

Grande beijo.

Doggie disse...

Esqueceste-te de uma parte, conseguimos fazer com que o repórter se partisse a rir!

E o dia de são valentim acaba por ser uma estratégia de marketing para fazer com que os casais comprem presentes naquele dia para que as lojas facturem mais. E isto associado a um sentimento tão profundo e emocional acho que é bastante hipócrita, porque as demonstrações de afecto não são feitas no dia X, mas durante todo o ano e muito menos a um nível material[o que eu ia dizer mas que me interrompeste na entrevista xD].

A RTP2 realmente não tem qualquer visão de oportunidade, porque aposto que a nossa entrevista foi a melhor de todas porque quebramos várias barreiras: eu dizer que estragámos tudo a meio da entrevista, tu falares comigo a meio da entrevista deixando o repórter a olhar pra nós e o facto de me teres interrompido várias vezes.

Daqui a uns anos ainda aparecemos num best of de piores entrevistas de sempre porque de facto foi algo épico. Esta é daquelas histórias para contar aos netos!

Gosto imenso do blog, escreves muito bem! Continua!

d disse...

Ela & Ele. O texto está óptimo, como siempre.